AGENDA CHEIA?

engolindosapos

“Segunda eu não posso. Tô atrapalhado. Terça e quarta nem pensar, tô lotado. Quinta eu vou  viajar, mas na sexta, na sexta eu posso. Mas só posso depois das oito. Não, pensando melhor, sábado é o dia pra mim, se bem que… O que você vai fazer domingo? Ixi, domingo é domingo, né? Como você está em novembro? ”

A vá! Me dá um like! Ninguém tem a menor cerimônia de viver sem tempo pra nada. Aliás, quanto mais ocupado você for ou parecer ser, melhor. É como se agenda cheia fosse sinônimo de sucesso e fizesse subir o seu passe.

– Você tem tentado falar com Fulano?

– Não consigo. Ele está super ocupado entrando e saindo de reuniões, viajando…

O que vem depois desta primeira pergunta sofre variações complementares como: deve estar rico, agora é ele que manda, você viu quando ele ganha? Tá. E quem realmente se importa? De verdade. Lá no fundo?

Para os ocupados, uma vida atribulada. Mas nem todos estão realmente ocupados. É que ainda tem gente que acredita que ser inacessível é sinal de status e um tapa na cara de quem ele julga ser um desocupado. Plaft! Pra mim, quem pensa assim está no calcanhar da escala evolutiva. Mas não vamos falar disso, embora eu precisasse falar pra poder chegar no íntimo da minha Agenda de Emoções. Calma, eu exemplifico:

“Hoje eu não posso. Estou com medo. Terça e quarta nem pensar, tô tão triste… Quinta eu vou ficar o dia todo em casa chorando de raiva, mas na sexta, na sexta eu posso. Mas só posso depois que meu rosto desinchar. Não posso sair por aí com cara de alcachofra… Sábado e domingo estarei feliz demais para encontrar você. Que tal a gente marcar uma data bem distante? Assim a gente finge que vai se encontrar…”

Pena que dizer o que estamos sentindo não valorize também o nosso passe. Aliás, pelo contrário.

– Desculpe, eu não posso participar da reunião de hoje senão vou voar no seu pescoço.

Não dá falar isso, né? Quer dizer, até dá. Mas é preciso ter coragem pra falar e o dobro da coragem para arcar com as consequências. E de repente a gente vai engolindo os sapos e junto com eles as emoções. A terça triste, a quarta ansiosa, a quinta medrosa, a sexta pouco esperançosa, o sábado tenso, o domingo intenso… Engole, engole e joga pra segunda, mas segunda é um dia cheio e daí a raiva fica pra terça. Ahhh tá! Mas não fica mesmo. E dá-lhe somatizar.

Por isso, implantei na minha vida o método de emoções Tabajara… Brincadeirinha! O título não é esse, mas é um método de aprendizagem. É que estou aprendendo a viver respeitando minhas emoções. Eu disse vivendo e não vivendo perigosamente. Não poderia me guiar cem por cento por minhas emoções, certamente boa parte delas me jogaria de alguma ponte e eu não tô podendo encarar uma reencarnação de culpas e tragédias. Vamos ver se podemos resolver parte disso tudo numa vida só. Nessa, de preferência.

Minha agenda funciona assim: ao detectar a emoção do dia eu a transformo em uma espécie de trilha sonora. Passo o tempo que for preciso com ela, sem miguelagens. Nós duas e um dia inteiro pra viver e se entender. Tem sido libertador e me ajudado pacas na construção de dias seguintes genuinamente felizes.

Momento Sentimentalistas Anônimos: Eu sei o que estou sentindo hoje. E você?

Anúncios

1 comentário

  1. Querida! Adoro o que vc escreve e muito me identifico ( por isso ouso chamá-la querida!) tb uso o truque da trilha sonora, mas muitas vezes já paguei pra ver as consequências de uma resposta sincera demais. Tenho tentado não fazê-lo. Mas agenda cheia?? Faça-me o favor, né?! Costumo é desistir desta pessoa tão “ocupada”! Bjão! Keep writing!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s