Um Metro de Felicidade

Esse foi meu primeiro texto no Elo7, de lá pra cá quase nada mudou, mas os meus cabelos…. Quanta diferença!

yardfelicidade

Tem tanta coisa na vida que a gente não esquece: o primeiro beijo, o primeiro sutiã, o primeiro bordado, a primeira necessaire, a primeira encomenda de tecidos importados…
E é tão bom poder falar sobre isso e ser compreendida.
É porque em qualquer outro lugar que eu dissesse algo assim, iam achar que estou maluca. Mas vocês não. Vocês me entendem.

E entendem também as aflitivas conjecturas da espera pelos novos tecidos que parece que nunca mais irão chegar:
– Ai, roubaram minha encomenda.
– Não acredito que o meu envelope tá preso no Correio.
– Bem que eu desconfiei daquela loja. Nunca mais coloco meu mouse lá.
– Acho que amanhã vai chegar.
– Acho que até terça já chegou.
– Acho que um dia chega. Será?

E depois dessa montanha russa de emoções, quando estamos praticamente enlouquecendo, eis que chega. Normalmente quando já começamos o projeto com outro tecido, outro tamanho, na real, outro projeto.

Mas tudo bem, chegou e a gente esquece tudo: do tempo que demorou, do cartão que estourou, até da cara de alguns tecidos que a gente, a esta altura, também tinha esquecido que comprou. Mas tá valendo. Veio embaladinho, dobradinho e cheirosinho… Ai, que amor!

Eu tenho paixão por tecidos. Às vezes chego a pensar que comecei a costurar só para ter uma boa desculpa para comprá-los sem ser internada. O ponto alto do meu processo de criação na arte do costurar é escolher o projeto, abrir meu armário de tecidos, tirar uma pilha, duas… e concluir em voz alta: Não acredito que não tenho um bendito de um tecido que combine com esse projeto. Saco! Vou ter que comprar novos tecidos! Eba!

Me amarra! Me amarra! Me tranca num quarto, mas sem internet. Porque se tiver internet eu ligo e compro, nem que seja um pedacinho.

– Pô, mas eu não tenho nem um tecido de pipoca? Isso é um absurdo.

Sim eu sei. Bem mais absurda é a constatação. Mas não fazemos por mal. É esse mercado, que lança o tempo todo uma coleção nova assinada por um designer mais incrível que o outro. É pior que o mercado da moda. A gente fica com 12 estações em um só ano: as quatro nossas, as quatro dos Estados Unidos e as quatro do Japão. Fazer o que? A vida é dura. É primavera aqui, inverno lá, verão patacolá. É muita ferveção!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s