Férias

Da série o misterioso e incompreendido mundo do freela

– Então, tô saindo de férias.
– Férias do quê?

E minha mãe fazia quase a mesma pergunta, mas de outro jeito quando ela ligava no meio da tarde e eu dizia que estava trabalhando e não podia ficar muito de papo.

– Ué, mas você não tá em casa?

Ahãm. Eu tô em casa. Ahãm eu vou sair de férias. Ou será que por que sou freela não tenho direito a férias? Tenho sim e se existisse a Ilha da Fantasia me mandaria fácil pra lá e pediria pra ser rica, loira e tomar coca-cola o dia inteiro sem me preocupar com a barriga. De repente me imagino pedindo uma coca-cola bem geladinha pro Tatoo. E se não fosse abusar demais da coisa “pedido”, eu queria que a minha Net fosse realmente rápida, já que quando eu comprei o serviço eles juraram em contrato que iam me tirar da Sibéria. Ahãm…

E eu tô mesmo precisando tirar férias e como não tenho chefe (pra tirar férias dele) vou tirar férias de mim. E o que numa empresa é um direito adquirido, na vida de freela é uma sucessão de conquistas, do contrário sair de férias seria impossível.

Quando se é registrado a programação de suas férias é feita pela empresa, e eles até pagam por ela. Agora, quando se é freela a responsabilidade dessa programação é 100% nossa, bem como todas as despesas referentes aos dias “parados”. De repente me imagino em freeze tomando uma água de coco. Que louco!

E ao contrário do clima empresa, em que seu chefe já sabe das suas férias e tem tempo suficiente pra elaborar o luto, na vida de freela é preciso comunicar o momento férias com carinho e amor pra todos os chefes da vez. E atenção! Lembre-se de enfatizar que você vai, mas volta.

E prepare-se, quando se está há poucos passos das férias existe algum movimento misterioso (de algum espírito de porco astral) que aciona uma bela meia dúzia daqueles orçamentos que estavam pendurados. E eles começam a cair quase como bananas, em pencas sobre sua cabeça. É impressionante. Respire fundo, agradeça e diga não com jeitinho. Do contrário, adeus férias.

O momento gozar de férias não é um episódio simples na vida de um freela mas como em qualquer férias é delicioso. É   só se programar, tomar coragem,  juntar as conquistas, ter paciência consigo mesmo e um certo otimismo pra levantar âncora e lançar velas ao mar. Férias, ahhh que bom que és tão plural. Iupê!

Anúncios

5 comentários

  1. Marcela,
    pouso por aqui depois de seguir os fluxos do twitter.
    Foi uma surpresa boa.
    Eu também sou freela e me reconheci nas suas sacadas, muito bem retratadas, sobre os percalços desse modo de vida tão incompreendido.
    Por outro lado, abençoada seja a minha liberdade de escapar das jornadas integrais dentro de um escritório, incluindo reuniões estúpidas e o ir e vir no caótico trânsito paulistano.
    Curiosidade mórbida: você sabia que o Tatoo “realmente pirou”, e acabou se matando com um tiro de espingarda na boca? Ou seja, talvez a tal Ilha da Fantasia se esconda em algum lugar mais longe do que costumamos imaginar… não?

    Boas férias,
    Daniel Amadei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s